Passar para o Conteúdo Principal
Facebook Instagram Twitter Youtube Linkedin RSS
Logotipo CM Arcos de Valdevez

Câmara Municipal de Arcos de Valdevez promove “Estudo para a Caracterização, Conservação e Divulgação das Áreas Ripícolas do Rio Vez e seus Afluentes no Sítio Rio Lima”

Rio vez2 1 1024 2500
03 Fevereiro 2010

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, em colaboração com a ARDAL – Associação Regional para o Desenvolvimento do Alto Lima, fez uma candidatura ao programa ON2 – O Novo Norte intitulada “Promoção e Conservação da Biodiversidade das Terras Altas do Vez” que, entre outros projectos, integra a realização de um “Estudo para a Caracterização, Conservação e Divulgação das Áreas Ripícolas do Rio Vez e seus Afluentes no Sítio Rio Lima”.

O referido estudo, uma acção no valor de € 170,000,00, ambiciona colher toda a informação bio-física, ecológica, arquitectónica e etnográfica relacionada com a água, referente à actual situação do Rio Vez e afluentes, incluindo aspectos-chave referentes à biodiversidade, ambiente natural e rural e aspectos sócio-culturais.

Neste sentido os trabalhos incidirão no levantamento da flora e fauna ripícola, no qual a caracterização da flora e fauna ripícola do Rio Vez e afluentes, deverá basear-se na referência das principais espécies presentes nesta área, na sua representatividade, e noutras características peculiares como endemismos, biótopos corine e zonas de protecção especial.

A flora e a fauna incidirão numa descrição que recaia em ambientes ripícolas, sendo que a caracterização da flora englobará vegetação lenhosa e herbácea e a da fauna será dividida em 4 grandes grupos taxonómicos: avifauna, herptofauna, mamíferos e ictiofauna.

Já a caracterização piscícola incidirá na inventariação da ictiofauna existente nos cursos de água, ao nível da identificação das espécies; distribuição e abundância; comprimento, peso e idade média das comunidades piscícolas, bem como na identificação de fenómenos patogénicos.

O levantamento do património arquitectónico e etnográfico associado ao uso e gestão tradicional da água é outra das actividades incluídas no estudo. Este visará reunir de uma forma integrada a informação sobre o património arquitectónico e etnográfico associado à água.

Por ser considerado essencial um levantamento do património construído e da etnografia ligada ao uso da água, com especial destaque para o Rio Vez e afluentes, Câmara Municipal e ARDAL realçam a necessidade de se conhecerem as diferentes tecnologias rurais relacionadas com o uso da água (açudes, pesqueiras, engenhos de força motriz, entre outras), bem como um relato dos usos e tradições associados à gestão deste recurso.

Os trabalhos incidirão também na compilação de uma base de dados espacial, pois pretende-se criar um banco de dados geoespacial que permita integrar toda a informação existente sobre o Rio Vez e afluentes, bem como permitir mais tarde carregar informação adicional.

Deste modo, espera-se que seja uma base de dados com a capacidade de utilização em ambientes de sistemas de informação geográfica, nomeadamente no uso de Webgis e também adaptável para quiosques multimédia.

Por último o estudo incidirá na elaboração de propostas de recuperação de infra-estruturas para a conservação e divulgação do património ambiental e arquitectónico ripícola.

Com o objectivo de atrair as comunidades locais, outros visitantes e potenciais investidores, vai ser iniciado um processo de recuperação de estruturas que serão a base para a divulgação do património ambiental, arquitectónico e etnográfico das margens fluviais do Rio Vez e afluentes.

Assim, o levantamento do património arquitectónico irá definir a localização das estruturas, as quais ainda não estão definidas, que melhor contribuam para o desenvolvimento do projecto e planificação de um espaço para a localização de um Centro de Informação e Divulgação do Rio Vez, com a capacidade de recepção de visitantes, e desenvolvimento de actividades de visitação e educação ambiental; e do projecto e planificação da recuperação de infra-estruturas mais representativas, (e.g. moinhos, açudes, etc.) para a visitação e divulgação do património in loco – estruturas que terão um papel fundamental na organização das actividades de visitação e educação ambiental.

O presente estudo representará um instrumento crucial na conservação desta área classificada, bem como no aproveitamento das potencialidades turísticas das margens ribeirinhas, contribuindo assim para a utilização de um recurso endógeno de uma forma equilibrada e sustentável, com a preocupação constante de manter elevados índices de biodiversidade nas margens ribeirinhas.

Gabinete de Comunicação

Maria João Brito

Telefone: 258 520 500

Fax: 258 520 510

gabimprensa@cmav.pt

Município de Arcos de Valdevez
Top