Passar para o Conteúdo Principal
Facebook Instagram Twitter Youtube Linkedin RSS
Logotipo CM Arcos de Valdevez

Câmara Municipal e Universidade do Minho valorizam Património Cultural

Câmara Municipal e Universidade do Minho valorizam Património Cultural
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
18 Abril 2018

 

“Monumentos são dos mais notáveis e extraordinários na sua tipologia histórica”, responsável pelo estudo Luís Fontes, Unidade de Arqueologia da UM

 

“Estamos a dar passos relativamente ao futuro, valorizando o nosso rico Património Cultural”, Presidente da Câmara Municipal, João Esteves

 

No âmbito do Programa municipal de comemorações do Ano Europeu do Património Cultural, a Câmara Municipal celebrou, no passado domingo, na freguesia do Extremo, o protocolo para “Conservação, Estudo, valorização e Divulgação dos Fortes de Bragandelo e da Pereira, Arcos de Valdevez”, a realizar pela Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho, com um valor de 20 mil euros, para a execução de Estudos de Arqueologia e História, Levantamentos Topográficos Especializados, Conceção e Produção de Conteúdos para divulgação, tendo sido a sala da sede da Junta de freguesia pequena para acolher todos os que quiseram assistir ao ato.

Através deste protocolo, far-se-á a pesquisa bibliográfica, limpeza dos Sítios arqueológicos, prospeção, execução de levantamento topográfico detalhado e de reconstituição fotogramétrica e 3D, execução de sondagens arqueológicas no Forte do Bragandelo com criação de um dia de visitas para público e população local, conceção e produção de conteúdos para divulgação, indicação de metodologias de valorização, conservação e potenciação do Sitio.

A intervenção vai incidir maioritariamente no Forte de Bragandelo, o mais bem conservado. Estes fortins são do séc. XVII, enquadrados por tal no período da Guerra da Restauração, e representam uma mais-valia para o turismo e a cultura do concelho, e em particular para a freguesia do Extremo, uma vez que são exemplares superlativos no contexto de toda a Península Ibérica.

Presentes nesta cerimónia estiveram o Presidente da Câmara Municipal, João Esteves, o Prof. Doutor Rui Vieira de Castro, Reitor da UM, a Prof. Doutora Manuela Martins, Vice-Reitor da Área de Cultura e Sociedade; o Doutor Luis Fontes, Unidade de Arqueologia da UM; a Doutora Rebeca Blanco-Rotea, Universidade de Santiago de Compostela; a Dra. Elvira Rebelo, Diretora de Serviços de Bens Culturais da DRCN (em representação do Diretor da DRCN Doutor António Ponte), o Presidente da Junta de Freguesia e o Tesoureiro da União das Freguesias de Portela e Extremo, Arlindo Barbosa e Abel Correia, bem como muitos populares que fizeram questão de assistir ao momento.

Nesta sessão foi destacada toda a importância histórica e cultural dos monumentos, tendo ficado bem presente que estes dois exemplares são dos mais bem conservados de que há memória e que existe uma grande vontade de criar condições para que se transformem numa referência nacional e internacional.

O papel da população também foi relevado, tendo os estudiosos solicitado a sua ajuda ao nível do estudo que irá ser feito.

Para o autarca, João Esteves, este é mais um passo de grande importância para o desenvolvimento cultural, económico e social do concelho e da freguesia, classificando os dois monumentos como mais “um ponto de atração para o concelho, de reforço da identidade cultural, de promoção do património e da História de Arcos de Valdevez e de Portugal”.

Joao Esteves fez ainda votos de que a relação com a universidade do Minho se torne ainda mais forte, pois só com conhecimento podemos promover o desenvolvimento, fixar e atrair mais pessoas para o território. “

Top