Passar para o Conteúdo Principal
Facebook Instagram Twitter Youtube Linkedin RSS
Logotipo CM Arcos de Valdevez

Feira do Livro encerrou em beleza com a apresentação do livro ''O Preço da Vitória'' de Angelino Pereira

P7253440 1 1024 2500
P7253454 1 1024 2500
P7253504 1 1024 2500
28 Julho 2010

Angelino Pereira, autor de cinco livros publicados desde 1995, foi o escritor que encerrou, no domingo, dia 25 de Julho, a XX edição da Feira do Livro deste ano, com a apresentação do livro "O Preço da Vitória".

Anabela Sofia (filha do autor) esteve presente e foi a ela que ficou encarregue a apresentação do autor. Assim, enquanto lia algumas passagens do livro, referiu: "o autor é natural de Penafiel e vive em Guimarães. Um dos cargos que exerce é o de consultor na área de riscos profissionais. Conta com um vasto currículo como escritor, vários prémios na prosa e na poesia.

O livro é uma extensa biografia do jovem Joel Moreno. Trata-se de uma obra carregada de realismo e sentido de justiça, sendo, sem dúvida, o seu melhor livro".

Já à amiga de Angelino, Maria Luísa (de Ponte da Barca), ficou delegada a tarefa de apresentar a obra. "O que eu colhi da leitura deste livro é que se trata de um apelo popular, inequívoco, ao amor e à esperança. Ele apela à consciência social...apela à humanidade. Esta obra mexe com o nosso íntimo e leva-nos a questionar que mundo é este em que vivemos.

O seu objectivo é, certamente, denunciar para mexer com as consciências, e, estamos aqui hoje para levar este livro ao maior número de pessoas, para que os seres humanos aprendam a ser pessoas, efectivamente", avançou.

Maria Luísa lançou, ainda, o desafio de um 2º volume ao autor, mas com uma heroína chamada "Maria".

Segundo Vítor Baía (por questões pessoais não pode estar presente), o autor do prefácio da obra, "Angelino Pereira retrata no Joel, o herói desta história, uma criança carenciada de quase tudo, mas determinado numa luta para poder vencer, enquanto chama constantemente a atenção dos homens para a injustiça. Este livro é um apelo constante para os deveres da sociedade, a quem compete dispensar o apoio necessário ao desenvolvimento saudável das crianças e dos adolescentes carenciados das mais diversas formas."

Por fim, Angelino Pereira disse que "este é o 14º momento do "Preço da Vitória" e tem valido a pena. É uma obra que também fala do Alto Minho (...) Trata-se de um romance que tem várias interpretações, várias ópticas de leitura e cada leitor segue o seu caminho. Tenho a certeza que se vão reconhecer nas páginas do livro.(...)

Foi escrito por amor à vida e, através dele, quero dizer que o destino, somos nós que o fazemos e, que nascer pobre não é uma fatalidade, e se existem pobres, crianças e adolescentes carenciados e pessoas infelizes é por causa da desproporcionalidade, do egoísmo, da ganância". De igual modo, "foi escrito num gesto voluntário, porque todo o voluntariado é preciso para ajudar a resolver os problemas sociais que o poder político não consegue por si só. A sociedade está doente. Sofre de duas doenças graves, a inveja e a indiferença".

Em suma, "O Preço da Vitória" tem como objectivo uma reflexão sobre as coisas e as pessoas e espero que os arcuenses sintam o mesmo prazer ao ler este livro, como o que eu senti ao escrevê-lo ".

O autor terminou a sua intervenção agradecendo ao município, ao vereador da Cultura, Pedro Teixeira, e ao director da Casa das Artes, Nuno Soares.

O dia prosseguiu com a actuação do grupo Human Chalice, pelas 16h30, com a entrega dos prémios da Rádio Valdevez, às 21h30, e a apresentação das diferentes classes do Studio 601, coordenadas por Cândido Rodrigues e Eliana Rodrigues, pelas 22h00.

O balanço da XX edição da Feira do Livro é bastante positivo, sendo a grande afluência de visitantes à feira, durante as iniciativas, a prova de que esta continua a ser uma boa aposta do município.

Município de Arcos de Valdevez
Top