Passar para o Conteúdo Principal
Facebook Instagram Twitter Youtube Linkedin RSS
Logotipo CM Arcos de Valdevez

Mário Soares - «o mais ilustre português vivo» foi, em Arcos de Valdevez, «alvo da maior e mais sentida homenagem prestada até agora em Portugal» - Almeida Santos

Mário Soares - «o mais ilustre português vivo» foi, em Arcos de Valdevez, «alvo da maior e mais sentida homenagem prestada até agora em Portugal» - Almeida Santos
28 Junho 2010

Decorreu em Arcos de Valdevez nos passados dias 25,26 e 27 de Junho a iniciativa Concelho de Estado - Vida e Obra de Mário Soares. "A maior e mais sentida homenagem prestada até agora em Portugal" - Almeida Santos -, àquele que foi retratado por Freitas do Amaral como tendo sido o "Pai da República Portuguesa e aquele que mais contribuiu para que a liberdade vingasse em democracia."

Este, que segundo Miguel Veiga, "é sobretudo um Homem de cultura em acção, que pensa como Homem de acção e age como Homem de pensamento". Um "Humanista da cabeça aos pés! Cidadão e Estadista de mão cheia e Animal Político de espécie rara" ouviu rasgados elogios à sua performance enquanto homem da política e lutador por Portugal e os portugueses.

"Mário Soares mostrou uma notável capacidade de liderança porque só fez aquilo em que acredita", e, "é a personalidade mais marcante da História democrática de Portugal", referiu Artur Santos Silva.

A integração de Portugal na CEE, a actual crise económica que o mundo atravessa e consequentes propostas anti-crise, a sua vida privada, bem como a sua constante luta pela Liberdade e Igualdade, assim como pelos valores republicanos, foram os temas que marcaram este ciclo de conferências dedicado ao estadista que, segundo José Sócrates, "atingiu um patamar histórico e integrou a política fundamentalmente por duas razões: Política e Europa".

Um homem de quem afirmou ser difícil falar mas a quem definiu como sendo de "Coragem e Temperança"; "um homem que confia em si próprio e tem a ousadia de pensar por si mesmo"; "um homem de espírito e um patriota" - qualidades essenciais numa figura política.

Para o autarca Francisco Araújo, presidente da Câmara Municipal, "ao tomar esta iniciativa, que se designou por "Concelho de Estado" o Município de Arcos de Valdevez pretendeu homenagear o Homem que dedicou uma vida à causa da liberdade e da democracia e o estadista, de craveira mundial, que lutou pela integração de Portugal no espaço europeu das nações mais desenvolvidas e democráticas".

Consideramos, igualmente, que não existia melhor oportunidade para tomar esta iniciativa do que aquela que se nos apresenta, de comemorarmos este ano o Centenário da República". Uma feliz coincidência, atendendo ao facto do Dr. Mário Soares ser um dos mais ilustres defensores da República, definindo-se a si próprio como "republicano e laico", referiu.

Segundo o próprio, com esta homenagem "o município quis reafirmar os valores da liberdade, democracia e solidariedade num país que tem na sua rica e longa história respostas para muitos dos seus problemas do presente".

De realçar que a preocupação de Francisco Araújo com a realização da homenagem a Mário Soares foi a "reafirmação do essencial, os valores da liberdade, solidariedade e democracia, estando em sintonia, nas comemorações do Centenário da República, com a personalidade que nas lutas que travou ao longo da sua vida política, sempre se norteou por esses valores".

Por tudo isto, a autarquia entregou ao ex - Presidente da República a medalha de honra do concelho - "Esta medalha expressa o nosso sentimento em relação a vossa excelência", disse.

Foram três dias de elogios aos quais o estadista respondeu com humildade. "Fiquei esmagado com todos estes belos discursos. Tive a sorte de estar no sítio certo à hora certa. Não fiz nada de extraordinário e sinto-me incapaz de comentar qualquer intervenção sobre a minha pessoa. Todas as considerações realizadas foram de extrema simpatia, no entanto, vão muito além daquilo que eu próprio fui."

Em resposta a Francisco Araújo, Mário Soares afirmou ter ficado muito bem impressionado com a sua terra, a sua gente e ter gostado imenso de estar em Arcos de Valdevez.

Agradeceu o envolvimento de todos na iniciativa, nomeadamente ao Município Arcuense, à Editorial Novembro, aos conferencistas e população. "Receberam-me com tanto carinho e simpatia e inclusive organizaram uma exposição que até mim próprio espantou", disse.

Durante três dias a vida política de Mário Soares foi, no âmbito de um ciclo de conferências realizado na Casa das Artes concelhia, analisada e debatida por antigos estadistas e personalidades de grande craveira intelectual, como o Primeiro-Ministro José Sócrates, Mikhail Gorbatchev (através de vídeo-conferência), Federico Mayor Zaragoza, Diogo Freitas do Amaral, Fernando Nobre, Miguel Veiga, António Almeida Santos, Adriano Moreira, Manuel António Sobrinho Simões, Artur Santos Silva, Eduardo Lourenço, Viriato Seromenho Marques, Ferreira de Oliveira, Raul Morodo, Carvalho da Silva, entre outras individualidades que fizeram questão, face à impossibilidade de marcarem presença pessoalmente, de enviar um texto.

Além das Conferências, uma boa parte das iniciativas deste Concelho de Estado materializaram-se em arte de rua, tendo sido a trajectória de Mário Soares retratada nas principais artérias de Arcos de Valdevez e a população local convidada a participar activamente. No perímetro urbano da vila, e sobretudo no seu centro histórico e na marginal fluvial, tiveram lugar, entre outras, as seguintes iniciativas: exposição de cartazes com fotos do homenageado; uma ampla fotobiografia de Mário Soares; um "Xadrez Político" em ponto grande representando as pessoas ou instituições chave no percurso do estadista; representações teatrais relativas a episódios da vida do histórico socialista; colocação de mantas (em alusão às romarias minhotas) com frases de discursos ou ilustrações variadas; uma marcha pública de tributo; a instalação de um logótipo gigante do Concelho de Estado; e uma simbólica largada de barcos de papel ("Na Rota dos Sonhos") contendo mensagens dos participantes do colóquio, da organização do evento e de elementos da autarquia.

Outro ponto alto do evento foi a inauguração da exposição "Mário Soares, um princípio sem fim", que retrata a vida pessoal e política do homenageado e ficará patente ao público até ao próximo dia 25 de Julho, na Casa das Artes de Arcos de Valdevez. Organizada segundo pressupostos cronológicos, a exposição encontra-se repartida, tematicamente, por vários espaços: uma sala é utilizada para expor as condecorações; outra para expor os trajes académicos e outros; a entrada do auditório conta com dois pelintos expondo o Busto da República e o Pelourinho de Arcos de Valdevez, onde estão igualmente exibidas seis caricaturas de Mário Soares; numa outra sala encontram-se expostos alguns objectos de carácter popular oferecidos e dedicados ao homenageado.

A tudo isto há ainda que acrescentar a criação de um díptico de homenagem ao estadista, da autoria do artista plástico Mário Vitória, e a "Tribuna dos Pequeninos", onde os mais novos puderam conversar informalmente com Mário Soares.

Município de Arcos de Valdevez
Top