Passar para o Conteúdo Principal
Facebook Instagram Twitter Youtube Linkedin RSS
Logotipo CM Arcos de Valdevez

Os Velhos e Os Golpes – auditório vibrou ao som das duas bandas alfacinhas

P3210507 1 1024 2500
P3210426 1 1024 2500
P3210485 1 1024 2500
22 Março 2010

O Sons de Vez! 8ª Mostra de Música Moderna de Arcos de Valdevez aproxima-se do fim e, tal como nas edições anteriores, tem vindo a apresentar bandas portuguesas de grande qualidade.

No passado fim-de-semana, dia 20 de Março, subiram ao palco do auditório da Casa das Artes concelhia, Os Velhos e Os Golpes.

Estas duas bandas de Lisboa mostraram-se satisfeitas por pisarem terras arcuenses e, durante perto de duas horas, animaram a plateia que vibrou com as suas sonoridades pop rock.

Os Velhos - Zé Preguiça, P. Lucas, Sebastião e Francisco Xavier - têm influências dos Beach Boys, Ramones, Arcade Fire, The Band e Marceneiro e "contam histórias porque há coisas que não podem ser ditas de qualquer maneira".

Com um EP composto por quatro temas - A Era Moderna, Queimar Tempo, Foi Assim que as Coisas Ficaram e O Céu É um Lugar na Terra (versão baseada no original de Belinda Carlisle, Heaven Is A Place On Earth -, Os Velhos têm vindo a angariar fãs. Em Arcos de Valdevez não foi diferente e eles conquistaram o público com a sua presença e atitude em palco.

De igual modo Os Golpes, compostos por Nuno dos Golpes, Pedro da Rosa dos Golpes, Luís d'Os Golpes e Manuel Fúria dos Golpes, deram uma actuação digna de ovações em pé.

Com influências de bandas como Os Tubarões, Heróis do Mar, New Order, Led Zeppelin, Duran Duran, Zé do Telhado, The Sound, e Kim Deal, Os Golpes vieram a Arcos de Valdevez apresentar o seu primeiro disco, Cruz Vermelha em Fundo Branco - um álbum considerado pela crítica como "Musicalmente certeiro e de arranjos competentes", "um disco interessante. Porque é feliz; porque diverte".

Os 11 temas do novo álbum - Cruz vermelha, O canto, Tarde livre, Parte I, A marcha dos golpes, O arraial, Tarde livre, Parte II, O silêncio, Embarcadiço, Fogo posto, Tarde livre, Parte III e Sobre fundo branco - foram alvo de demonstrações de agrado constantes por parte do público que ao longo do espectáculo dançou, aplaudiu e cantarolou com eles.

João Aguardela, ex-sitiados e ex-naifa, foi um nome relembrado pela banda, que fez questão de tocar um tema em sua memória pelo seu percurso exemplar no mundo da música portuguesa.

O Sons de Vez continua e no próximo fim-de-semana, dia 27 de Março, traz os Gaiteiros de Lisboa a Arcos de Valdevez. Mais um espectáculo de elevada qualidade que certamente levará até ao auditório da Casa das Artes dezenas de pessoas.

Município de Arcos de Valdevez
Top