Passar para o Conteúdo Principal
Facebook Instagram Twitter Youtube Linkedin RSS
Logotipo CM Arcos de Valdevez

Começaram as obras de reabilitação estrutural da ponte medieval, situada no Rio Ázere, entre as Freguesias de Ázere e Couto.

Começaram as obras de reabilitação estrutural da ponte medieval, situada no Rio Ázere, entre as Freguesias de Ázere e Couto.
image title
image title
image title
31 Outubro 2008

A Ponte Medieval de Ázere, edificada entre os séculos XIII e XIV, conhece uma profunda alteração estrutural em 1613, altura em que João Rodrigues, um fidalgo local, se encarregou de lhe dar uma "nova cara", tirando-lhe o duplo cavalete original, estrutura de tabuleiro de circulação similar ao existente na ponte medieval de Vilela, tornando-a plana, de maneira a facilitar a circulação viária.

A ponte manteve-se sempre intacta e em condições mínimas de segurança até Setembro de 1999, altura em que se deu uma grande cheia que lhe destruiu uma parte Ponte Medievalsignificativa do arco Norte e a totalidade do quebra-mar. Desde então que a estrutura reclamava uma intervenção urgente, já que se encontrava em fracas condições de segurança e sustentabilidade, correndo o risco de haver derrocadas e demais ocorrências de profundo dano estrutural.

Sendo esta uma questão de segurança pública e de preservação do Património Histórico, a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez teve a preocupação imediata, no dia posterior ao acidente, de pedir ao então IPPAR (Instituto Português do Património Arquitectónico e Arqueológico) que iniciasse o processo de classificação do imóvel, possibilitando, deste modo, uma melhor planificação e implementação das intervenções necessárias ao restauro e salvaguarda da estrutura. Contudo, desde a feitura do pedido até à obtenção da resposta, passaram-se nove anos sem que fosse definido o quadro legal de classificação do monumento, impossibilitando, por tal, qualquer intervenção municipal, dadas as responsabilidades Ponte Medievalda Tutela no processo; a decisão entretanto tomada, durante 2008, pelo actual IGESPAR, organismo substituto do anterior Instituto, de classificação da Ponte como "Imóvel de Interesse Municipal", permitiu, ao abrigo da Lei, e finalmente, a transição de responsabilidades para o Município.

Neste sentido, foram iniciados de imediato os trabalhos de reabilitação no monumento, tendo como principal preocupação manter uma ligação coerente entre necessidades técnicas e de engenharia e integração do projecto de reabilitação no contexto patrimonial específico, bem como nos seus elementos arquitectónicos primitivos, tendo em conta que esta vai ser, assumidamente, uma intervenção feita no séc.XXI, usufruindo, por tal, de materiais e técnicas diferenciadas, pelo que, por exemplo, a reconstrução Ponte Medievaldo arco será feita em "perpianho" de granito idêntico ao existente e a construção do quebra-mar em blocos de granito aparelhado.

A obra, adjudicada por 94.450,00€ à firma Sociarco, Sociedade Construtora Arcuense Lda, encontra-se em fase de execução das fundações e espera-se que esteja concluída em meados de Fevereiro; a intervenção conta com o suporte e acompanhamento de técnicos municipais integrados nos Serviços Técnicos de Obras e Serviço de Cultura.

Município de Arcos de Valdevez
Top